• Gilberto de Souza

7 pontos essenciais para a gestão de pessoas nas organizações




Hoje mais do que nunca as pessoas formam o pilar mais estratégico de uma organização. É a partir das pessoas que surgem as ideias, as inovações e as melhorias.


Vendemos para clientes que são pessoas e compramos de fornecedores que são pessoas. Ou seja, saber inspirar, colaborar e desenvolver pessoas é cada vez mais essencial para o sucesso das organizações conforme os contextos se tornam mais complexos e incertos.


Muitas organizações ainda se encontram em uma fase de pouca clareza sobre esse tema, e muitas ainda têm dúvidas se a gestão de pessoas (atrair, selecionar, integrar, engajar, desenvolver, reconhecer e, quando necessário, desligar) é algo que deveria ser responsabilidade da área de Recursos Humanos, ou uma responsabilidade distribuída entre todos os gestores. Por isso, compartilho algumas informações que podem ser úteis às organizações que buscam estruturar a gestão de pessoas.


Por muito tempo, o termo recursos humanos foi adotado, e ainda é, pelas organizações, e muitos gestores pensam e tratam as pessoas como um recurso. Essa visão limita as possibilidades de resultados.


É muito importante que os gestores compreendam: as pessoas não são recursos humanos, mas humanos cheios de recursos.

Elas possuem recursos como: inteligência, criatividade, relacionamentos, energia e uma incrível gama de competências desenvolvidas para determinados contextos e cenários, fruto de suas histórias de vida. E que, muitas vezes, todos esses recursos são negligenciados; não utilizados na plenitude que poderiam nas organizações.


A gestão contemporânea propõe que faça parte das responsabilidades dos gestores estruturar e direcionar os recursos que as pessoas têm para que realizem suas entregas com efetividade - e para que gostem de fazê-lo. O lema "pessoa certa no lugar certo" significa pessoas felizes e organizações mais rentáveis.


A gestão de pessoas é uma responsabilidade que precisa estar distribuída por todas as pessoas que exerçam a função de liderança na organização. Não pode ser responsabilidade exclusiva da área de Recursos Humanos.


Compartilho quais são, na percepção da Nortus, os sete pontos-chave de estruturação dos gestores junto às suas equipes:


1) Tornar o propósito claro para todos. O propósito deve conectar os anseios das pessoas que fazem parte da equipe e os anseios da organização.


2) Criar as condições para que as pessoas queiram e gostem de trabalhar juntas.


3) Ajustar a arquitetura das funções de modo a melhorar a efetividade.


4) Saber atrair e selecionar os melhores para trabalhar em cada função.


5) Definir o que é prioridade e estruturar uma agenda de execução clara.


6) Desenvolver continuamente cada integrante da equipe, tanto nas questões técnicas quanto nas questões comportamentais.


7) Saber identificar quando o ciclo da pessoa naquela função está se encerrando.


Executar todos esses passos não é uma tarefa simples. Ela tem alto nível de complexidade e requer habilidades comportamentais, conhecimento e preparo. Cada um desses passos desdobra-se em uma série de ações que têm relação também com a estrutura da organização.


Em mais de uma década de atendimentos em organizações, percebemos que um ponto comum entre empresas que estavam crescendo era justamente a ascensão de profissionais técnicos ao cargo de gestão, tendo que liderar uma equipe. Quando não era dada a esse profissional a oportunidade de se capacitar adequadamente nos aspectos que tratamos aqui, os resultados eram abaixo do que poderiam ser.


A Formação em Gestão Contemporânea da Nortus foi criada para desenvolver as capacidades e competências necessárias à gestão, que incluem, entre outros aspectos, a gestão de pessoas. Nesses 12 anos da Nortus, e em mais de 18 mil atendimentos, observamos que as organizações que investem no desenvolvimento de seus gestores, preparando-os para essa tarefa, conseguem alcançar resultados com maior efetividade, leveza e fluidez.


Para saber mais sobre a Formação em Gestão Contemporânea, fica aqui o convite: www.nortus.com.br/gestaocontemporanea



Sobre o autor


Gilberto de Souza é sócio-fundador da Nortus e educador referência em desenvolvimento de líderes. Há mais de 20 anos atua na preparação de líderes. Ministrou cursos, formações e palestras para mais de 200.000 pessoas e é co-autor do livro Organizações auto-organizadoras (2016), escrito em parceria com o Grand Ph.D Francisco Di Biase.



Sobre a Nortus


A Nortus é uma instituição de desenvolvimento humano global e organizacional, referência em soluções para gestão contemporânea, fundada em 2009 e com sede em Campinas (SP). Já formamos centenas de gestores em todo o Brasil, atendendo dezenas de empresas e impactando o desenvolvimento de mais de 50 mil pessoas em eventos customizados a dezenas de clientes utilizando nossa Tecnologia Comportamental Metassistêmica. Mantemos parcerias internacionais com pesquisadores do campo da psicologia social, comportamental e organizacional e da neurociência. Seguindo com a concretização de nosso propósito, não só no âmbito corporativo, a Nortus possui a célula social Neoeducar, que coloca a nossa tecnologia genuína à disposição dos profissionais da rede pública de ensino.


33 visualizações0 comentário