• Equipe Nortus

O futuro no desenvolvimento de líderes

Luciana Sutti*



Como o líder constrói confiança? O que ele faz que encanta e engaja a sua equipe para alcançarem resultados extraordinários?

As respostas não estão mais somente nos bancos dos MBAs. Hoje, ter uma boa qualificação profissional não é suficiente para o desenvolvimento de competências de liderança.


Por quê?

O ambiente dos negócios está cada vez mais complexo e incerto. Cases de sucesso que funcionaram no passado podem não funcionar em outros contextos. A velocidade da mudança exige um profissional altamente adaptável a realizar as suas atividades com incerteza e ambiguidade.

Para ser competente em algo, é necessário mais do que ter informação. Ao incluírem novas perspectivas sobre determinado assunto, os executivos precisam fazer novas conexões em seu modo de pensar, e ao colocarem em prática novas formas de agir em seu dia-a-dia, estarão demonstrando novas competências sobre o que aprenderam.

Estudos da neurociência demonstram que há uma correlação direta entre liderança e metacognição, que é a capacidade de acompanhar a qualidade da própria consciência em ação. Em outras palavras, desenvolver competências exige mais prática e menos teoria.

Muitas organizações possuem metodologias para indicar aos seus gestores os seus pontos fortes e os seus pontos a desenvolver com base nas percepções das outras pessoas. Mas, como vimos, apenas ter a informação não é o suficiente para que a competência se desenvolva.

As ferramentas atuais mais inovadoras em desenvolvimento de lideranças envolvem ambientes de simulação. Ou seja, um local que ajude os líderes a ampliarem a sua capacidade de se observar em ação e fazerem os ajustes necessários para atingirem os seus objetivos.

Hoje, já existe tecnologia que permite observar indicadores neurofisiológicos just in time, ou seja, enquanto a pessoa está vivenciando as situações nas quais necessita demonstrar a sua capacidade de liderar. Assim, com o uso de um headset, é possível observar o que acontece no cérebro do executivo durante aquela reunião tensa com o seu gestor.


Imagine se o executivo pudesse se ver em ação durante uma conversa difícil na empresa?

E se ele pudesse observar a linguagem que utiliza, quais movimentos faz com seu corpo, os seus indicadores neurofisiológicos, e conseguisse entender como tudo isso está relacionado à percepção que seu interlocutor tem dele e com o resultado obtido na reunião?

Esta é a proposta do NeuroTrainingLab: ajudar os executivos a ampliarem a sua metacognição para desenvolverem competências de liderança.

O NeuroTrainingLab reúne os mais recentes avanços das neurociências para entregar ao participante uma experiência para desenvolvimento de sua metacognição e de suas metacompetências de liderança em um ambiente seguro de simulação.

Esta ferramenta é inédita no Brasil e está disponível na Nortus.



*Luciana Sutti é sócia-executiva da Nortus, especialista em neurociências aplicadas à liderança e coaching. Atua no NeuroTrainingLab como observadora sênior. É coach executiva e de carreira pelo ICI, com formação internacional reconhecida pelo ICF. Estuda e pratica mindfulness desde 2004.



87 visualizações