Alto desempenho depende de medição | Nortus | Gestão Contemporânea

Alto desempenho depende de medição

21/11/2019

 

 

Mudar as palavras; mudar a cultura. Se você busca atingir alto desempenho com sua equipe, saiba que realizar um processo de medição de desempenho é essencial. Muitas empresas aplicam processos de avaliação de desempenho, mas há uma diferença muito grande entre avaliação e medição.

 

A avaliação tem um viés cultural de punição - e isso ocorre não apenas nas empresas. Pressupõe a oposição entre certo e errado. Quem é submetido a este processo fica sempre pensando se foi bem ou mal, ou, ainda, que precisa fazer algo para ser bem avaliado. Esses pensamentos consomem tempo e energia e dão o peso de obrigação a um processo que deveria resultar em benefícios para todos.

 

Outro aspecto da avaliação é que, na maioria das vezes, é baseada em suposições. Essa subjetividade estimula nos integrantes da equipe uma posição de autodefesa, pois se sentem julgados e, instintivamente, buscam se proteger.

 

Se você, como gestor, busca chegar a um nível de alto desempenho com sua equipe, promover mudanças nesse processo é essencial. Instituir a medição de desempenho significa colocar todos os integrantes em um outro patamar: o de busca coletiva de melhoria com base em fatos concretos e não em suposições.

 

Medição de desempenho: caminho para o desenvolvimento

 

Tudo o que pode ser medido pode ser melhorado, considerando o contexto, as condições técnicas e comportamentais, o nível de preparo e a maturidade de cada um dos integrantes e da equipe. A medição é essencial para verificar o que é necessário ser ajustado. Para isso, é preciso observar os fatos concretos. É possível medir tanto aspectos técnicos quanto os comportamentais. Por ser objetivo, o processo de medição estimula o crescimento individual e também o coletivo.

 

Para realizar e trilhar este caminho de desenvolvimento, alguns passos são necessários:

 

  • Medir o nível de maturidade profissional;

  • Realizar a medição de desempenho a cada três meses;

  • Realizar o assesment com foco no desenvolvimento do potencial humano;

  • Verificar em qual categoria as pessoas estão posicionadas (saiba mais aqui).

 

A partir da análise desses fatos mensuráveis, você conseguirá validar as condições técnicas e comportamentais das pessoas que integram a sua equipe - o que aumenta as chances de você saber, como gestor, se pode convidá-las a novos desafios, estimular o seu desenvolvimento dentro da posição que ocupam hoje e projetar caminho futuros.

 

Medir a cada 3 meses

 

O desempenho não é estático. Ele é variável. Por isso, uma sugestão é que a medição de desempenho seja realizada a cada três meses. Essa frequência auxilia cada membro da equipe a ajustar o que é necessário ser ajustado, e também a fortalecer aquilo que as pessoas já estão fazendo de maneira efetiva, conforme definido pelo responsograma de cada um.

 

Além disso, é fundamental verificar o nível de maturidade em que o profissional se encontra. Pessoas com baixa maturidade são altamente dependentes do gestor para saber o que precisa ser feito. Elas tratam algumas situações com falta de preparo, muitas vezes por não terem conhecimento básico sobre o responsograma. Precisam de ajuda para aprender. Ao tomar conhecimento do responsograma, a pessoa muda rapidamente para o nível intermediário de maturidade, no qual ela se torna independente. Ela passa a reconhecer a própria capacidade de concretizar e entrega o que é necessário de acordo com o responsograma.

 

O nível alto de maturidade é atingido quando as pessoas da equipe mantêm interdependência e fazem autogestão. São capazes de oferecer e pedir ajuda de maneira colaborativa. Atenção! Se você é um gestor com muitas pessoas em sua dependência, provavelmente está bastante sobrecarregado e precisa desenvolver mais pessoas.

 

Para realizar a medição, é necessário:

 

  • Observar os comportamentos no dia a dia para perceber qual em nível de maturidade os integrantes da equipe se encontram;

  • Realizar assessments com foco no desenvolvimento do potencial humano;

  • Verificar em qual categoria as pessoas estão posicionadas (insatisfeitas, satisfeitas, comprometidas ou engajadas).

 

 

Compartilhamos, aqui, uma ferramenta que auxiliará você a ter uma visão geral sobre o nível de maturidade de sua equipe e, a partir daí, estruturar ações voltadas ao desenvolvimento de cada um. Clique aqui para baixá-la!

 


Aline Sirotto* é sócia-executiva da Nortus e instrutora na FGC - Formação em Gestão Contemporânea. É bacharel em Administração de Empresas, com vasta experiência como gestora de equipes e consultora de Desenvolvimento Humano e Organizacional e Operações Financeiras.

 

 

Please reload

Receba nosso conteúdo em seu e-mail.

Preencha este formulário e sempre que enviarmos um conteúdo estimulante, você receberá em primeira mão.

Nossas Redes

  • linkedin_nortus
  • Facebook Nortus
  • Nortus_TV
  • Insta_nortus